top of page

Solidariedade: para o Grupo do Bem, é Natal o ano inteiro

As ações de Natal sempre fizeram parte do trabalho do grupo, que cresceu desde a pandemia, e esse ano não foi diferente.

Há cerca de 20 anos, a iniciativa individual e contagiante ao voluntariado da professora universitária Luciana Antonia Tremea foi agregando um pequeno grupo formado por alguns alunos, amigos e parceiros que começaram a semear o bem por onde passavam. De início anonimamente, mas de uma forma tão intensa que ser anônimo ficou impossível. Nasceu assim o Grupo do Bem de Santa Cruz do Sul, que organizava ações para homenagear e dar atenção às crianças e suas famílias em épocas comemorativas, como Páscoa, Dia da Criança e Natal.

Mas em 2020, o grupo se tornou mais presente e conhecido, sobretudo pelo contato e cuidado que passou a ter com tantas famílias que passavam necessidade e tinham que enfrentar a pandemia. Diante de suas necessidades pontuais, a solidariedade foi além e se espalhou para todos os meses do ano.

Durante o primeiro ano da pandemia, manteve em longo período o Projeto Sopa do Bem em parceria com a Unisc, distribuindo nos dias de frio um alimento quente e uma forma de carinho aos necessitados. Também passou a fazer a entrega de cestas básicas, pães, roupas, móveis e brinquedos. Todas essas ações aproximaram ainda mais o Grupo do Bem daqueles que queriam doar e não sabiam como.

O trabalha do grupo foi ganhando cada vez mais voluntários e tomando proporções muito maiores do que Luciana havia imaginado. Por causa disso, em 21 de dezembro de 2021, em uma assembleia pública nasceu, então, a Associação Grupo do Bem de Santa Cruz do Sul, que fortaleceu a ponte entre os corações doadores e quem precisa dessas doações.

São alimentos, roupas, móveis, utensílios domésticos, brinquedos, material escolar e outros. Além disso, serve de elo para o acesso e informações para obtenção de auxílios, como parcelamentos de contas em atraso (luz, água, etc). E aquele pequeno núcleo que deu início a essa corrente do bem cresceu.

Atualmente, a associação conta com em torno de 180 pessoas voluntárias. Luciana diz que o lema do grupo, “fazer o bem sem olhar a quem”, se mantém ativo e determinado a fazer a diferença. O propósito é plantar a esperança e ajudar muitas pessoas a elevarem a autoestima com a criação de projetos para ensinar atividades que tragam resultado econômico aos que precisam disso para seu sustento. Um exemplo é o Projeto Regar, que acaba de formar 11 costureiras e bordadeiras. Ele funciona numa sala cedida pela Oase, que também doou máquinas de costura.

“Ao fazer o bem sem olhar a quem, o trabalho se multiplica a cada dia. Quase não se dimensiona o alcance do que está sendo feito. Já atingimos até outras cidades em ações desencadeadas dentro desse grupo para atender pessoas necessitadas, servindo de exemplo e semente plantada para crescer e germinar o bem por onde se encontre um coração voltado ao voluntariado”, conclui Luciana.

Uma festa recheada

As ações de Natal sempre fizeram parte do trabalho do grupo e esse ano não foi diferente. Diversos bairros de Santa Cruz receberam a visita dos voluntários e do Papai Noel, que levaram brinquedos, cestas básicas, cachorros-quentes e refrigerantes. Cerca de 800 brinquedos, 1,3 mil cachorros-quentes e 380 cestas básicas foram distribuídos neste Natal.

Cerca de 1,3 mil cachorros-quentes foram entregues

Fotos: Divulgação.

1 visualização0 comentário

Comments


bottom of page