top of page

Nós Somos a JE: série apresentou histórias de quem faz a Justiça Eleitoral

Material em homenagem a todas e a todos que ajudaram a construir a democracia brasileira está no Portal do TSE

No dia 31 de janeiro deste ano, a Secretaria de Comunicação do Tribunal Superior Eleitoral (Secom/TSE) anunciou, no Portal do Tribunal, o lançamento de uma série especial de matérias, que marcou não apenas o ano de 2021, como a própria história da Corte Eleitoral. A série “Nós Somos a Justiça Eleitoral (JE)”, publicada entre fevereiro e março deste ano, proporcionou reconhecimento e valorização a cada pessoa que contribuiu, e contribui, para que a JE chegasse até aqui com tantos avanços e aprendizados, além de inúmeras conquistas para o Brasil e para as eleitoras e eleitores.

A série foi criada para celebrar os 89 anos desse ramo especializado do Poder Judiciário. Por meio de histórias de servidoras e servidores, colaboradoras e colaboradores, a sociedade pôde reconhecer que a Justiça Eleitoral não é composta apenas por leis, números, equipamentos, processos, tecnologia de ponta, mas especialmente por pessoas que amam o que fazem e que não medem esforços para entregar o seu melhor.

À época do encerramento da série, o vice-presidente do TSE, ministro Edson Fachin, destacou que “esta iniciativa que fez lembrar que a história é um complexo de muitas histórias não poderia ser mais feliz”.

Ao todo, foram publicadas 28 matérias especiais, com relatos de pessoas de cada Tribunal Regional Eleitoral e do TSE. Os textos destacaram histórias de vida daqueles que trabalham diariamente com a finalidade de garantir ao cidadão o direito de exercer a democracia por meio do voto. Com as matérias, milhares de servidores e colaboradores espalhados pelo país se sentiram homenageados e representados.

Exemplos de vida

Por meio da série, as leitoras e os leitores tiveram a oportunidade de conhecer um pouco sobre o trabalho inovador que Carlos Careca realiza há mais de 20 anos como mesário voluntário em Fortaleza (CE) e sobre a busca do servidor pela mãe biológica. Também se emocionaram com a trajetória de Álvaro Pastor, que recolhia material reciclável numa carroça com a família em Recife (PE) antes de servir à Justiça Eleitoral.

Foi possível ainda descobrir talentos como o de Samuel Marinho, servidor do Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA), que teve o último livro indicado para o Prêmio Jabuti de 2020; e aprender com a força e a resiliência de Raimundo Nonato, servidor do TRE do Rio Grande do Norte, que enfrentou a deficiência visual e o preconceito para mostrar que era capaz de continuar trabalhando. A série também mostrou, por meio do depoimento de José Seixas, do TRE do Amapá, os desafios para levar as urnas eletrônicas para locais mais distantes.

Trajetória profissional e de vida

Uma das histórias mais comentadas foi a de Antônio Carlos de Oliveira, conhecido por “Bigode”, funcionário mais antigo do Tribunal Regional da Bahia, que, em fevereiro deste ano, prestes a se aposentar “com a sensação de dever cumprido e uma legião de amigos”, deu um depoimento emocionante, abrindo um pouco o coração para falar da trajetória de mais de 54 anos de casa.

Nesta data, em que celebramos o sucesso da série, a Secom/TSE faz uma reverência especial a ele, falecido no dia 3 de novembro deste ano. “Gostaria de agradecer a bonita homenagem que vocês prestaram ao colega de minha irmã do TRE-BA. Graças a Deus, ele recebeu, em vida, a bela homenagem por vocês, publicada em fevereiro”, fez questão de registrar Rita de Cássia Costa Santos, irmã da servidora Rosemary Costa Santos.

A série mostrou ainda importantes iniciativas de alguns Tribunais Regionais, como, por exemplo, o projeto de alfabetização para a comunidade mantida pelo TRE do Mato Grosso ou a ação do TRE de São Paulo, que lançou nas Eleições Municipais de 2020 um aplicativo para comunicação em libras em tempo real.

A história de Bigode e todas as outras podem ser lidas no Portal do TSE.

0 visualização0 comentário

Commentaires


bottom of page