top of page

Cidadania: conheça os países europeus que mais naturalizam brasileiros

por Cristiano Goulart, via Agora Europa

Livre escolha para morar e trabalhar em 27 países, qualidade de vida, poder de compra elevado, além de contar com os passaportes mais poderosos do mundo. Essas são apenas algumas das vantagens conquistadas por quem obtém uma cidadania europeia. Dados divulgados recentemente pelo Gabinete de Estatísticas da União Europeia (Eurostat) mostram que, em 2020, 24.127 brasileiros foram reconhecidos como cidadãos europeus pelos Estados-Membros do bloco.

Portugal foi o país que mais naturalizou brasileiros no período. Ao todo, foram 10.107 beneficiados entre janeiro e dezembro de 2020. O país lusitano, cujos programas de residências são internacionalmente reconhecidos, possui a maior colônia de brasileiros do bloco europeu: 276,2 mil ao todo, segundo o Itamaraty. Além de Portugal, a Itália também desponta na vice-liderança do ranking de países que mais naturalizam brasileiros na União Europeia. Em 2020, foram 7.149 cidadanias concedidas.

Sete em cada dez brasileiros obteve cidadania portuguesa ou italiana

Em 2020, 72% das naturalizações de brasileiros foram realizadas pelos governos italiano ou português. Em Portugal, três em cada dez cidadanias são destinadas a quem nasceu no Brasil, segundo dados da Eurostat, que utilizam o ano de 2020 como referência. Já no território italiano, esse índice é bem menor. Apenas 5,4% dos documentos concedidos são destinados aos brasileiros.

Os cidadãos do Brasil, no entanto, estão longe de ser a nacionalidade que mais obteve cidadania no continente europeu. Em 2020, o Brasil ocupou o quinto lugar no ranking dos 10 países com mais cidadãos beneficiados. Os romenos, cujo país integra a União Europeia (UE), são os únicos do bloco no topo da tabela. No período, os brasileiros obtiveram apenas 4% de todas as naturalizações realizadas na UE.

Itália é o país que mais realiza naturalizações na UE

Quase dois em cada 10 cidadanias reconhecidas na União Europeia foram realizadas em território italiano. Em 2020, o país ofereceu o passaporte europeu a 131,8 mil pessoas. O número corresponde a 18% de todas as naturalizações do bloco no período.

Por outro lado, Suécia e Portugal são os Estados-Membros com maior taxa de naturalização para cada grupo de 100 residentes, sendo 8,6 e 5,5, respectivamente. Nos países baixos, a taxa foi de 4,8 cidadanias europeias para cada 100 pessoas, seguido de Finlândia (2,9) e Itália (2,6). Espanha e Bélgica aparecem na sequência, ambas com 2,4. Ao todo, 729 mil documentos foram concedidos em 2020 pelos 27 Estados-Membros da União Europeia.


Imagem:

1 visualização0 comentário

Comentários


bottom of page